Tumblr Mouse Cursors One Direction Portugal: Cap 4 fic SWBL

Translate

sábado, 3 de novembro de 2012

Cap 4 fic SWBL




-Dianna, vá lá! O que eu disse não era nesse sentido! - Disse-me ele, alto, com um ar triste.
-Sim, está bem... - Disse eu, perdoando-o. Não era que eu não estivesse chateada mas a verdade era que eu não lhe conseguia resistir. Fomos a correr até ao elevador e saímos, no parque de estacionamento. Entrámos para o carro dele, ainda não estava a andar, estávamos parados a falar.
-Acho que não é muito boa ideia ires para casa. Eles estavam lá à porta, o que significa que sabem onde é que tu moras. - Disse-me a olhar para mim.
-Mas ''eles'' quem? Quem são ''eles''? - Perguntei, já irritada.
-Eu juro que te explico, mas agora ainda vai ser um bocado difícil de entenderes. - Respondeu-me ele, calmamente. Suspirei e ignorei o que ele disse, perguntei:
-E se não vou para casa, vou para onde? – Olhei-o nos olhos e simplesmente lhe escorreu uma lágrima de sangue. Fiquei a olhar para ele, assustada.
-Que foi? – Perguntou ele.
-Zayn, estás a… Chorar sangue?! – Perguntei assustada, tocando na lágrima com o meu dedo indicador e olhando para o sangue que tinha ficado nos meus dedos. Ele pegou no meu dedo e disse:
-Estás doida? – Limpou rápido o sangue dele que tinha lá ficado no meu dedo. – Não toques. – Disse ele, de seguida limpou a ‘lágrima’ dele.
-Zayn, choraste sangue? – Perguntei com os olhos semicerrados, a desconfiar.
-Ahm… Infeção dos olhos. – Disse ele atrapalhado – Está sempre a acontecer. – Estava tudo a ficar cada vez mais estranho. Não lhe respondi, fiquei apenas a pensar nas coisas que tinham acontecido.
-Acho que é melhor ficares comigo. Eu vou sair hoje mas podes ficar com a Sam e com a Lisa. - Olhou para mim, com medo da resposta.
-Ouve Zayn, eu não quero incomodar mais e, de qualquer das maneiras, seja quem ''eles'' forem, não me vão entrar em casa... E eu tenho mãe. - Respondi-lhe, a tentar arranjar uma maneira de o «não» não ser tão forte.
-Ahm... Não pode ser. Eu não te posso deixar fazeres isso. Vem comigo, é melhor, é mais seguro. - Disse-me a ligar o carro.
-E o que é que eu digo à minha mãe? - Perguntei, já que ele não me deixava ir para casa.
-Se quiseres, podemos passar por tua casa e tomas um duche, levas umas roupas e dizes que vais dormir a casa de uma amiga ou de um amigo, como quiseres... - Sugeriu ele.
-E se a minha mãe te vê? Ela vai pensar que és meu namorado... Tu sabes! - Disse-lhe eu envergonhada.
-Podes dizer-lhe que eu só te vou pôr lá ou... Não é que eu queira que tu lhe mintas, como é óbvio mas... Neste momento só estavas em segurança comigo ou com o... Teu pai. - Disse-me; fiquei boquiaberta.
-O que é que tu sabes sobre o meu pai?! - Disse baixo, assustada.
-Calma, ele tem a ver com esta confusão toda dos últimos dias; é a partir dele que eu te conheço. - Esclareceu-me ele - Mas pronto, vamos lá a tua casa que tenho fome... - Disse-me ele, a desviar o assunto. Pusemos o cinto e fomos até minha casa, parámos ao pé dela e eu perguntei:
-Queres entrar ou ficas cá fora?
-Eu fico cá fora mas despacha-te - Pediu-me.
-Ainda vou tomar banho, vou demorar. - Respondi-lhe.
-Então, tomas em minha casa, traz uma mala com as cenas que precisas. Champôs e isso nem te atrevas a trazer, não é preciso! - Disse ele.
Eu ri-me, abri a porta e disse:
-Percebido, já venho.
Fiz as coisas que tinha a fazer, tal como combinado. Ouvi um enorme sermão da minha mãe, ela não fazia a mínima ideia do que se tinha passado, disse-lhe que tinha ficado em casa de uma amiga, a Susie. Quando ia a sair, ela nem me levou à porta, felizmente, antes que o visse e pensasse que ele era algo mais que um amigo. Ela era demasiado exigente.
Entrei dentro do carro dele de novo e ele disse-me:
-Não te esqueceste de nada?
-Não, acho que não... Mas quem me... Raptou, tirou-me o telemóvel porque eu não o tenho, como já tinha dito.
-Tinhas lá alguma informação muito importante?
-Não.
-Então, mais tarde, vamos a uma loja de telemóveis e compramos um.
-Não, eu não tenho dinheiro.
-Ó Dianna. - Ligou o carro e começámos a andar. Mais uma vez, demorámos montes tempo a chegar, a casa dele era longe, mesmo. Não falámos o tempo todo, eu só ia a pensar como é que ele podia saber da minha existência e, principalmente, das cenas sobre o meu pai. Quando estávamos a chegar a casa dele, estava a Lisa (http://25.media.tumblr.com/tumblr_m650dvxrMN1r7his3o1_250.jpg (não pus na apresentação exactamente pelo mesmo motivo que a Sam) chegar também, era muito bonita, tal como a mais nova. Eles cumprimentaram-se e o Zayn disse:
-Esta é a Dianna, ela vai ficar cá por… motivos dela, está bem?
-Sim, claro... - Respondeu ela, olhou para mim e cumprimentou-me - Olá linda - Sorriu.
-Olá… - Disse envergonhada. Entrámos e eu subi para o quarto do Zayn com ele. Elas ficaram a conversar, na sala.
-Podes ir tomar banho quando quiseres… Quando saíres da casa de banho, eu desço para ficares mais à vontade para te vestir. Há toalhas limpas no armário que está em frente da banheira. – Disse-me ele a sentar-se na cama e a abrir o computador dele.
-Está bem, obrigada… - Virei-me e fui andando para a casa de banho. Tomei banho e tirei uma das toalhas que estavam no armário e embrulhei-me nela, sacudi o cabelo e fui para o quarto. Fiquei à porta à espera que ele reparasse que eu estava lá, até que ele reparou, riu-se e disse:
-Ah, desculpa… - Desviou o computador do seu colo pondo-o em cima da cama e saiu. Eu entrei e ele fez o favor de me fechar a porta.   Assim que me acabei de vestir sentei-me na cama um bocado, a olhar à minha volta. Olhei para o computador, não era para cuscar mas, por mero acaso, num separador que estava minimizado tinha lá o nome do meu pai, em navegação anónima (SHIFT + N). Abri o separador e estavam lá escritas montes de coisas horríveis sobre ele, que me deixaram esquisita.

O que serão essas coisas? '-'
Ahh pois, temos de conseguir chegar aos 25 gostos/i need more e 7 comentários, para eu pôr ! Esmerem-se que eu ponho assim que estiver o que eu pedi! se isto acontecer em menos de 2 dias eu ponho um capítulo maaaior. (:
GO GO GO ! xD * X




14 comentários: